Filhas afirmam que B.B. King foi envenenado por empresária

De acordo com a Associated Press, Karem Williams e Patty King, filhas de B.B. King, acusam a empresária Laverne Toney e seu assistente pessoal, Myron Johnson, de terem envenenado o músico, que faleceu aos 89 anos e estava internado desde o início do mês, após ter sofrido um enfarte. 

Ainda segundo as filhas do músico, responsáveis por divulgar as informações sobre o suposto crime com documentos enviados à imprensa, a empresária e o assistente pessoal teriam impedido que elas vissem o corpo do músico durante o velório. Detetives de homicídio investigam o caso e o resultado da autópsia será divulgado em oito semanas. 

Ainda antes da morte de B.B. King, a filha do músico, Patty King, havia acusado Laverne Toney de negligência, que teria resultado em um enfarte do músico. Segundo ela, a empresária teria evitado levar King a um hospital, mesmo com ele sofrendo de problemas na bexiga e recusando-se a comer. 

Diante da situação, Patty disse que precisou chamar a polícia, que acionou paramédicos para cuidar de B.B. King. Um processo contra Laverne Toney movido pela filha do músico já movia na justiça, com a acusação de que King estaria sofrendo abuso em função de um ritmo de trabalho excessivo. O rei do blues passou a ser tratado em um hospital caseiro, montado em sua casa em Las Vegas, mas não resistiu e faleceu semanas depois.